Novidades

Criopreservação – Banco de Gametas, Tecidos Terminativos e Embriões

O QUE É CRIOPRESERVAÇÃO?

A criopreservação é um conjunto de técnicas que permite conservar materiais biológicos em temperaturas muito baixas (196º C negativos) com o uso de nitrogênio líquido por longos períodos.

PARA QUE SERVE A CRIOPRESERVAÇÃO?

Uma das possibilidades da criopreservação está ligada à reprodução humana. Neste caso, ela é utilizada para preservar gametas femininos, masculinos e embriões para uso posterior.

Pacientes em tratamentos oncológicos (cirurgias, quimioterapia e radioterapia) podem ter a fertilidade comprometida. Então, a criopreservação é uma opção para preservar gametas e tecidos germinativos.

O Fertility – Unidade Bauru disponibiliza um completo Banco de Células e Tecidos Germinativos aos pacientes do interior do Estado de São Paulo. A região é conhecida pelos Centros de Referência no tratamento oncológico, localizados em Jaú e Barretos, sendo assim, destacada a importância da atuação de um serviço de criopreservação de gametas e tecidos germinativos.

Se tiver alguma dúvida sobre criopreservação ou sobre procedimentos, procure-nos.

BANCO DE SÊMEN

A criopreservação de sêmen tem como objetivo manter o potencial fértil de homens que serão submetidos a procedimentos que possam comprometer sua fertilidade. O Fertility Bauru possui Banco de Sêmen Terapêutico, isto é, para uso exclusivo do paciente.

A finalidade de um banco de sêmen é a preservação de espermatozoides e líquido seminal em nitrogênio líquido a -196 ºC por um período indeterminado, conforme as necessidades do paciente.

O sêmen criopreservado pode ser utilizado com sucesso em técnicas de reprodução assistida, mesmo quando armazenado por longos períodos em nitrogênio líquido.

 INDICAÇÕES:

– Pacientes que serão submetidos à quimioterapia e/ou radioterapia;

– Antes da cirurgia de vasectomia;

– Antes de cirurgias no aparelho urogenital;

– Homens com alterações no espermograma;

– Profissões de risco.

 

BANCO DE ÓVULOS

A criopreservação de óvulos tem como objetivo a manutenção do potencial fértil de mulheres. Atualmente utiliza-se a técnica de vitrificação que proporciona altos índices de sobrevivência dos gametas.

INDICAÇÕES:

– Mulheres diagnosticadas com câncer, que irão submeter-se à quimioterapia, que pode afetar sua fertilidade.

– Mulheres que queiram preservar a fertilidade por serem jovens para engravidar.

– Armazenamento de óvulos, ao invés de embriões, resolvendo o dilema de casais que não queiram congelar embriões.

– Banco de óvulos para doação, como se faz há muitos anos com o sêmen.

BANCO DE EMBRIÕES

As novas tecnologias de criopreservação permitem ao especialista em infertilidade o congelamento de embriões excedentes de procedimentos de reprodução assistida, possibilitando uma futura transferência para o útero da paciente.

INDICAÇÕES:

– Embriões com boa qualidade e que não foram transferidos no ciclo em que foram gerados;

– Condições inadequadas da mulher no momento da transferência (endométrio não receptivo, Síndrome de Hiperestimulação Ovariana, etc.).

Nestas situações, os pré-embriões congelados podem permanecer armazenados para uso futuro, permitindo que cada um possa, depois de descongelado, ser transferido em outro ciclo com preparo adequado do endométrio.

Com boas técnicas, as chances são semelhantes às dos pré-embriões frescos. Como no congelamento de óvulos, a técnica mais utilizada é a vitrificação, com altas taxas de sucesso.

BANCO DE TECIDOS

A criopreservação de parênquima testicular e tecido ovariano são opções para a preservação do potencial fértil de pacientes em idade pré-puberal. Avanços na preservação da fertilidade têm proporcionado esperança para garantir a função reprodutiva desses pacientes. As técnicas ainda são de caráter experimental, portanto, questões éticas devem ser discutidas antes que este procedimento seja oferecido rotineiramente.

 

INDICAÇÕES:

  • Mulheres com câncer  em idade pré-puberal;
  • Mulheres em idade reprodutiva que necessitam iniciar a quimioterapia imediatamente, e não podem passar pelo estímulo ovariano;
  • Homens com câncer em idade pré-puberal.